Portugues
Email:   Pass: 
 
Dinocart - Ecommerce System
  Inicío  »   Runa
 Freguesias  
A-dos-CunhadosCampelosCarmõesCarvoeiraDois PortosFreiriaMaceiraMatacãesMaxialMonte RedondoOuteiro da CabeçaPonte do RolRamalhalRunaSão Pedro da CadeiraSilveiraTorres VedrasTurcifalVentosa
 Lojas / Serviços  
   
Runa Runa
(0)
Automóvel e Motos
(4)
Comércio
(1)
Desporto e Lazer
(0)
Ensino e Educação
(0)
Hotelaria e Restauração
(0)
Imobiliário e Construção
(1)
Inst. e Org. Públicos
(1)
Lar, Decoração e Manutenção
(0)
Saúde e Beleza
(0)
Serviços
(0)
Tec. Informação e Comunicação
(0)
Turismo
Brasão
Runa

População:  1032 habitantes,  eleitores
Área:  6,9 km2
Densidade populacional:  150,3 hab/km2
Actividades económicas: Agricultura, pequeno comércio e pequena indústria
Padroeiro:  S. João Baptista
Festas e Romarias: S. João Baptista (Junho) e N. Sra. da Purificação (2 de Fevereiro)
Feiras: S. Miguel (29 de Setembro)
Património cultural e edificado: Igreja matriz, solar dos Veteranos Militares, cruzeiros, moinhos e azenhas, edifício do Centro Social de Runa, estação de caminhos-de-ferro e pontes romanas
Colectividades:  Grupo Desportivo de Runa
Gastronomia: Cachola e vinho

Runa, em português, significa “barranco, vala”, daí que o topónimo esteja relacionado com a posição topográfica da freguesia. a sua paróquia foi, no passado, um curato anual da apresentação do prior de S. Pedro de Torres Vedras.

Em Setembro de 1810, aqui decorreu umaEstação de caminhos-de-ferro Runa importante batalha entre as tropas anglo-lusas e o exército gaulês, comandado por Massena, que tentava atingir Lisboa. As linhas de Torres impediram-no de tal façanha.

Do seu património arquitectónico, destacamos dois edifícios. A igreja matriz, dedicada a S. João Baptista, substitui uma outra que existiu no mesmo local, anteriormente, e que foi demolida. A capela-mor apresenta um forro de azulejos setecentistas com pinturas do orago, o retábulo é seiscentista. conserva ainda alguns elementos do templo anterior. O solar dos Veteranos Militares foi fundado entre 1792 e 1827 por uma irmã de D. Maria I, Maria Francisca Benedita, com o objectivo de recolher os militares que ficassem inválidos em missão de serviço. Edifício monumental, “austero e frio”, é de estilo neoclássico e foi projectado por José da Costa e Silva.

A freguesia de Runa foi, e é, dotada de várias personalidades, de que se destacam: António Ferreira, Fernando de Barros Leal, José Monteiro, Salustiano Leal, Mariana Leal, Lourenço da Costa Carapeta, Mário Luís Ferreira Margaça, João Ferreira dos Santos, Rui Margaça, e ainda as famílias: Leal, Ginja, Barros e Cunha, Barros, Carapeta, Margaça, Roque, Saldanha, Veiga, Severinos e Morais, entre outras.

Património cultural e edificado:

Asilo Inválidos Militares Igreja matriz, solar dos Veteranos Militares, cruzeiros, moinhos e azenhas, edifício do Centro Social de Runa, estação de caminhos-de-ferro e pontes romanas.
 
A igreja matriz, dedicada a S. João Baptista, substitui uma outra que existiu no mesmo local, anteriormente, e que foi demolida. A capela-mor apresenta um forro de azulejos setecentistas com pinturas do orago, o retábulo é seiscentista. conserva ainda alguns elementos do templo anterior.

O solar dos Veteranos Militares foi fundado entre 1792 e 1827 por uma irmã de D. Maria I, Maria Francisca Benedita, com o objectivo de recolher os militares que ficassem inválidos em missão de serviço. Edifício monumental, “austero e frio”, é de estilo neoclássico e foi projectado por José da Costa e Silva.

Rádio Europa 93.8 FM

Loading