Portugues
Email:   Pass: 
 
Dinocart - Ecommerce System
  Inicío  »   Torres Vedras
 Freguesias  
A-dos-CunhadosCampelosCarmõesCarvoeiraDois PortosFreiriaMaceiraMatacãesMaxialMonte RedondoOuteiro da CabeçaPonte do RolRamalhalRunaSão Pedro da CadeiraSilveiraTorres VedrasTurcifalVentosa
 Lojas / Serviços  
   
Torres Vedras Torres Vedras
(28)
Automóvel e Motos
(99)
Comércio
(4)
Desporto e Lazer
(14)
Ensino e Educação
(50)
Hotelaria e Restauração
(27)
Imobiliário e Construção
(2)
Inst. e Org. Públicos
(18)
Lar, Decoração e Manutenção
(45)
Saúde e Beleza
(62)
Serviços
(10)
Tec. Informação e Comunicação
(5)
Turismo
Brasão Santa Maria
Santa Maria - Torres Vedras

População:  5061
Área 17,6 km2
Densidade populacional 287,8 hab/km2
Actividades económicas: Indústria, agricultura e comércio
Padroeiro: Santa Maria do Castelo
Festas e Romarias: Santa Maria (15 de Agosto) - Torres Vedras, Santa Basaliza e S. Julião (2.ª semana de Setembro) - Ribeira de Predulhos, Nossa Senhora da Nazaré (2.ª semana de Agosto) - Orjariça, Corpo de Deus - realização de Missa e saída de procissão, S. Vicente (22 de Janeiro) - Orjariça, Nossa Senhora da Pena (1.ª semana de Agosto) - Serra da Vila e Sagrado Coração de Jesus (2.ª semana de Junho) - Sarge
Feiras: S. Pedro (fins de Junho), mercado mensal (à segunda-feira - entre os dias 15 e 21) e mercado grossista (semanal)
Património cultural e edificado: Castelo construção anterior a 1148, ruínas do Palácio de Alcaides, Igrejas de Santa Maria do Castelo - monumento nacional, de Santiago, Misericórdia (construída entre 1681 e 1752), Capelas de Nossa Senhora da Nazaré (construída em 1765), de Nossa senhora da Pena (construída em 1734), do sagrado Coração de Jesus (construída em 1982), Nossa Senhora de Fátima (construída em 1960), capela particular da Quinta do Calvel - Orjariça, Ermida de Santa Mirinha, cemitério e capela de S. Miguel (construído em 1977), aqueduto, castro do Zambujal, moinho de vento, estátuas de D. Rafael Maria Assunção (1874-1959) e de Joaquim Agostinho (1943-1984), monumento ao Bombeiro (1997), cruzeiros de Orjariça e Serra da Vila e fontes e fontanários
Colectividades:  Sporting Clube de Torres, Sport Clube Ribeirense, Associação Cultural Recreativa e Desportiva Orjaniça, Atlético Clube Torreense, União Desportiva Recreativa e Cultural de Sarge e Grupo Desportivo Serra Vila, Associação dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras e Sociedade Columbófila.
Gastronomia: Enchidos, cabrito assado no forno, pastéis de feijão, queijo saloio e vinhos.

É a mais importante e a mais antiga freguesia da sede do concelho.

Com uma área de 1771 hectares, encontra-se a cinquenta e sete quilómetros de Lisboa, a capital do distrito e do País. Aqui se concentram as principais actividades económicas de um conjunto de dezanove freguesias, aqui se encontram os principais serviços administrativos do concelho. Aqui se encontram, ainda, os principais monumentos da cidade.

Localizou-se nesta freguesia a cidade romana de Arandis, segundo os mais antigos historiadores portugueses. A presença dos romanos neste concelho ficou, de resto, bem assinalada em grande parte das suas freguesias. O nome da freguesia, que por sua vez se estende ao da cidade e do próprio concelho, tem origem latina, e poderá ter sido deixado também pelos romanos. Provém da expressão “Turres Veteras” e tem o óbvio significado de torres velhas.

Do período anterior aos romanos é o castro do Zambujal. A três quilómetros sudoeste da vila, mas ainda no seu termo, é um dos mais complexos povoados fortificados pré-históricos da Península Ibérica. Seria constituído por um recinto interior de cerca de cinquenta metros e diversas linhas de muralhas em redor. Do espólio recolhido, salientam-se numerosas pontas de seta, utensílios de osso e sobre e grande quantidade de cerâmica, lisa ou decorada. Parece datar da época Calcolítica.

Em termos administrativos, a freguesia foi criada em 15 de Agosto de 1148. Até muito tarde, Santa Maria e S. Miguel foram duas freguesias independentes. A sua junção deu-se apenas em 1911. Ao que parece, a conquista de Torres aos mouros ter-se-á dado um ano antes da data acima indicada, em 1147, mas a tradição aponta 1148. Seja como for, a verdade é se pode fixar em meados do século XII a origem deste concelho. Desde aí, Santa Maria e S. Miguel, embora separadas, assumiam-se como as grandes líderes de uma vasta região.

Brasão São Pedro e Santiago
São Pedro e Santiago - Torres Vedras

População:  17548 habitantes
Área 31,5 km2
Densidade populacional 557,5 hab/km2
Actividades económicas: : Indústria, agricultura e comércio
Padroeiro: São Pedro
Festas e Romarias: Nossa Senhora da Nazaré, Nossa Senhora da Piedade, Santo António (13 de Junho) e Carnaval  
Feiras: ----
Património cultural e edificado: Igreja matriz, Igreja e Convento da Graça, Chafariz dos Canos, ermida de S. Gião, aqueduto, Igreja e Convento de Santo António do Varatojo, Igrejas do Barro, S. João, de S. Pedro, Fonte Grada e Paúl, Capela de Nossa Senhora do Amial e os Paços do Concelho
Colectividades:  Assoc. Recreativa e Cult. de Figueiredo, Assoc. Cultural Desp. de Louriceira, Atlético Clube Barroense, Assoc. Cultural e Beneficente de Santo António, Assoc. Moradores Cultura e Recreio, Centro C. D. Clube Futebol “Os Paulenses”, Grupo Desp. e Recr. de Boavista/Olheiros, Assoc. Educ. Física e Desp., Tuna Comercial Torreense e Sport Clube União Torreense
Gastronomia: Enchidos, cabrito assado no forno, pastéis de feijão, queijo saloio e vinhos.

Quanto aos oragos desta povoação, S. Pedro e Santiago, confirmam a antiguidade desta paróquia, já que ambos são dois dos primeiros padroeiros do Cristianismo e escolhidos para oragos na época da fundação da Nacionalidade. Assim, a sua instituição poderá ter ocorrido ainda durante o século XII e depois da conquista de Torres Vedras aos mouros (1147).

A igreja matriz, consagrada a S. Pedro, é o principal monumento da freguesia. Classificada como monumento nacional, foi reconstruída no século XVI. Ostenta na fachada um portal com elementos decorativos manuelinos e da Renascença. Encima-o o escudo de armas de D. João III. O interior é de três naves, com tecto de madeira do século XVIII, pintado com cenas religiosas.
Rádio Europa 93.8 FM

Loading